Ligas Acadêmicas: por que elas são tão importantes para o currículo?



Se você busca por diferenciais nos cursos de graduação, com certeza já deve ter se deparado com as Ligas Acadêmicas. Dentre as atividades extracurriculares, as Ligas podem ser consideradas uma das mais completas. Instituições fortes, principalmente nos cursos de medicina, elas se tornaram o grande diferencial no currículo acadêmico de inúmeros estudantes. 

Mas, afinal, o que são as Ligas?  Elas são entidades estudantis sem fins lucrativos, voltadas para o desenvolvimento extracurricular dos alunos. Nelas, os participantes buscam se aprofundar em temas de uma determinada área. Qualquer um pode participar gratuitamente. 

A base das Ligas, para o estudo, engloba ensino, pesquisa extensão e laboratório. Isso permite ao aluno participar de atividades como trabalhos comunitários, treinamentos práticos e reuniões científicas.

As Ligas Acadêmicas dos cursos de medicina 

Um dos benefícios das Ligas Acadêmicas, além do aprendizado, é justamente o maior contato com a comunidade local. Através de suas atividades, as Ligas de medicina ajudam a promover a saúde e a transformação social. Seus estudos são voltados para o aprimoramento de conhecimentos teórico-práticos, visando ao bem-estar da população. Quem participa das Ligas consegue ampliar seu senso crítico e o raciocínio científico. Então, você já sabe: quer novas experiências durante o curso de graduação? Procure saber se existe alguma Liga em sua faculdade. 

A primeira Liga criada na área da saúde no Brasil foi a Liga de Combate à Sífilis, entidade pertencente ao Centro Acadêmico Oswaldo Cruz, em 1920. Até hoje a instituição desenvolve projetos para a melhoria no tratamento e prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis. Um trabalho importante que impacta a vida de milhares de pessoas.  

Entretanto, a grande popularização das Ligas aconteceu durante o período de ditadura militar em nosso país. Na época, o contexto vivido estimulou o questionamento dos estudantes, que buscavam se conectar com a essência dos ensinamentos propostos pelas universidades. Além disso, o direcionamento nas matérias e a aplicabilidade dos conhecimentos teóricos e práticos também foram grandes impulsionadores.


Como as Ligas funcionam?

Nos últimos tempos, foi possível identificar um grande aumento do número de Ligas, além do desenvolvimento das já existentes. Essa evolução acabou forçando também a criação de organizações regionais, estaduais e nacionais para regulamentar o funcionamento das Ligas. Um bom exemplo é a Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina, a ABLAM. As organizações são responsáveis por incentivar o relacionamento, a integração e a mobilidade entre as instituições acadêmicas. 

O regimento interno de cada Liga varia de acordo com a instituição estudantil. Mas, para funcionarem, é preciso que haja regras claras e bem estabelecidas para direcionar a sua criação. Na hora da escolha do nome das Ligas, os alunos devem se pautar na área de foco dos estudos. Alguns exemplos de Liga são de Hematologia, Bioquímica ou Análises Clínicas.

Para a seleção dos membros é feito, primeiramente, um curso introdutório, com palestras. Em seguida, é realizada uma prova, na qual são testados os conhecimentos adquiridos durante o curso. Normalmente, a prova tem em torno de vinte questões, mas isso também é decidido por cada Liga, individualmente. Qualquer acadêmico matriculado no curso pode participar.

Para saber se sua faculdade possui alguma Liga Acadêmica, procure a direção do curso. Caso ainda não exista, também é possível tomar a iniciativa para a sua criação. Normalmente, a instituição lança editais para a criação das Ligas. Fique atento e prepare-se adequadamente, seja para criar uma nova ou para se inscrever em uma Liga já existente. 

Por que participar de uma Liga é bom para seu currículo acadêmico?

Muitos consideram as grades curriculares de cursos de graduação insuficientes para a formação profissional dos alunos. Nesse âmbito, as Ligas Acadêmicas surgem na vida do estudante para complementar sua carga horária através de um currículo informal. Elas também proporcionam maior interação entre os colegas e profissionais que já atuam na área, o que potencializa o aprendizado. Além, claro, de oferecer um panorama real da sua futura profissão.

Fazer parte de uma Liga Acadêmica é uma boa forma de aprender mais sobre assuntos já abordados em sala de aula. Essa é a hora de se aprofundar em temas do seu interesse, nos quais você pode se dedicar para desenvolver suas habilidades e seu potencial. Portanto, antes de escolher uma Liga pra ingressar, procure saber mais sobre seus temas. No final, escolha a que mais você se identifica e, claro, que esteja em sincronia com o que você quer para seu futuro profissional.

Buscar se desenvolver além do que é oferecido na grade curricular é uma boa forma de aprimorar seus conhecimentos. Além disso, você sai na frente dos seus concorrentes que se limitam à grade do curso. Se, depois de ler esse texto, você ficou com vontade de entrar para uma Liga, mas ainda não decidiu qual curso fazer, não se preocupe! Clique aqui e descubra se você combina mais com a área de humanas, exatas ou biológicas.